Webinário – Não quero fazer Brainspotting hoje

Esse webinário foi gravado em 2021 como parte de alguns eventos que ocorreram para promover o Congresso Internacional de Brainspotting.
Lisa Larson se especializou no uso e ensino do Brainspotting de Expansão que é apresentado por David Grand na Fase 4.
Nesse webinário, depois de apresentar o tema expansão e como ele se encaixa nos princípios do Brainspotting, Lisa introduz temas como:

  • o uso do Brainspotting de Expansão com clientes frágeis,
  • espiritualidade,
  • vergonha, e;
  • melhora de desempenho.

Lisa gentilmente nos cedeu o acesso à gravação desse webinário como uma forma de contribuir para a Associação. Os inscritos terão acesso à gravação (com legendas em português) de 1º a 30 de novembro de 2021. No dia 20 de novembro realizaremos um encontro de 2 horas para conversarmos sobre o tema.

Lisa aborda todos esses temas de forma mais aprofundada em seu workshop sobre Brainspotting de Expansão (3 dias).

Não quero fazer Brainspotting hoje – O trabalho com o
Brainspotting de expansão

Data: 20 de novembro de 2021 (encontro on-line para discussão do tema)
Horário: 10h às 12h
Valor: Associados adimplentes – GRATUITO/ Público em geral – R$100,00
Os inscritos terão acesso ao vídeo de Lisa Larson de 1º a 30 de novembro e no dia 20 de novembro haverá o encontro on-line para discussão deste tema. Lisa Larson não participará deste encontro.

Sobre Lisa Larson

Lisa Larson é terapeuta matrimonial e familiar licenciada há dezoito anos. Depois de sete anos na trabalhando com terapia cognitivo-comportamental, Lisa viveu uma situação que alterou e mudou o curso de sua vida, além de ter transformado sua orientação terapêutica.

Ela e seu filho sofreram uma crise (ou quase morreram clinicamente) em 2005 de duas reações alérgicas diferentes com três semanas de intervalo (ambos se recuperaram). Lisa ficou gravemente traumatizada com os sintomas normais de trauma; perda de apetite, insônia, ansiedade, pânico, inquietação, hipervigilância e constante reativação dos eventos traumáticos.

Ela tinha um caso clássico de TEPT. Nenhuma terapia de conversa funcionou. Mas depois de duas sessões de EMDR (uma poderosa modalidade de trauma desenvolvida e rigorosamente pesquisada na Universidade de Stanford) ela voltou a ser ela mesma.

Enquanto Lisa continuava a treinar nas modalidades de trauma mais poderosas, ela viu seus clientes traumatizados curarem-se rápida e permanentemente. Ela aprendeu que em seus anos como psicoterapeuta estava faltando a peça mais crucial necessária para curar aqueles com traumas simples ou graves: o corpo.

Aqueles com trauma complexo e TEPT são escravizados por sua própria neurofisiologia. A verdadeira cura requer libertar o indivíduo das memórias corporais aprisionadas que desencadeiam respostas crônicas de luta/fuga ou entorpecimento/congelamento. Nenhuma conversa ou oração pode remover o controle implacável do corpo sobre os traumatizados.